Como fica a fatura com energia solar?


Quando instalamos energia solar, a primeira coisa que queremos é o desconto na fatura de energia. Esses descontos são feitos através dos créditos de energia solar. Eles dizem respeito à quantidade excedente de energia gerada em um painel fotovoltaico por meio de mini ou microgeração, e são regulados pela Aneel.

Existem dois tipos de sistemas de energia solar: o on-grid que depende da rede de distribuição, que fornece créditos pela energia excedente, e o off-grid que utiliza baterias para manter o uso de equipamentos elétricos mesmo em períodos de menor produção.



Para iniciar a participação no sistema de compensação de créditos de energia solar, o o consumidor deve seguir alguns passos: se cadastrar formalmente na distribuidora de energia local. As concessionárias têm um prazo de até um mês para dar o parecer técnico do projeto de instalação, apontando os requisitos e as exigências para que o sistema seja enquadrado corretamente. Assim que as alterações do projeto e das instalações forem concluídas, a concessionária encaminhará um técnico para vistoriar o sistema, e o relógio medidor é instalado e, dentro de uma semana, já será possível gerar energia dentro do sistema de compensação de créditos.


Como é feita a compensação

Os créditos de energia solar funcionam como uma compensação na fatura mensal de consumo de eletricidade pelo imóvel. De maneira prática, o sistema está sempre ligado na rede pública, sendo que a energia excedente gerada é injetada diretamente nessa rede, quando seu painel não estiver gerando energia, a noite por exemplo, você utiliza a energia da concessionária. Ao final do mês, automaticamente, o relógio instalado no final do processo de cadastro do sistema fotovoltaico aferirá se o imóvel gerou mais energia do que consumiu ou vice-versa.

Se o consumo for maior, constará apenas a diferença na fatura mensal, com os créditos já sendo abatidos em forma de kWh. Se a geração de energia foi maior do que o consumo durante o mês, o imóvel recebe o desconto na fatura da mesma forma, além de um excedente de créditos em kWh. Isso é importante porque o valor monetário do kW pode variar muito ao longo do tempo.

Esse crédito, então, pode ser utilizado dentro de um período de até 60 meses. Esse tipo de compensação é muito interessante, principalmente se levarmos em conta que, no caso de uma residência, por exemplo, o consumo tende a aumentar ainda mais em determinadas épocas do ano. Assim, o excedente gerado durante o verão pode ser utilizado como crédito para abater uma conta de luz mais cara no inverno.

Caso os painéis sejam instalados em condomínios ou apartamentos, também é possível optar por um modelo de geração compartilhada dividida em partes iguais entre cada um dos moradores. Apesar da energia gerada ser a mesma para todos, como o consumo será diferente de acordo com cada residência, o valor descontado da fatura no final do mês também deve variar de um caso para outro. De qualquer forma, há uma diminuição significativa na utilização de eletricidade da rede pública.


Mais vantagens da compensação de energia


  • Proteção contra aumentos na conta de luz, que podem ocorrer em decorrência da inflação. Uma vez que você produz sua própria energia, não será tão impactado por esse fator.

Também é importante ressaltar que todos esses processos são descomplicados. Após fazer a instalação de seus painéis fotovoltaicos e o cadastro formal junto à companhia de energia, a diminuição da fatura ocorre de maneira automática, trazendo ainda mais comodidade para o usuário.


Ainda tem dúvidas sobre energia solar? Podemos te ajudar em todo esse processo, com produtos e profissionais para lhe atender através do nosso WhatsApp: (43) 3520-5070.


Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe nas redes sociais.

5 visualizações